A arte de Christo e Jeanne Claude

Olá pessoal!!

jeanneclaude-bryan-obrien1

Hoje tem post de arte e arquitetura, vamos falar do incrível casal de artistas effêmeros Christo e Jeanne Claude. Eles são conhecidos pelas instalações de Environmental Art (Arte ambiental). Christo era escultor e nasceu dia 13 de Junho na Bulgária e sua esposa Jeanne nasceu no mesmo dia porém em Marrocos. Eles viveram juntos por 51 anos. Em 2009, Christo perdeu sua querida esposa e nós uma grandiosa artista.

Uma coisa que achei super interessante é que o trabalho deles são financiados pela venda de obras, do projeto das intervenções, desenhos, colagens e fotografias.

Christo e Jeanne criam intervenções únicas, impossível confundir sua arte. Sempre usando tecidos e cores como uma matéria principal de seus trabalhos, chamando atenção para o que ás vezes sempre está lá e na maioria das vezes, ninguém percebe. Desde uma árvore até um grande edifício, eles produzem obras monumentais, seja cobrindo um ponto específico ou com sua repetição estratégica. Mas uma coisa é certo, eles não passam despercebidos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Palavras dos artistas explicando o que eles fazem:
“Ao longo dos milênios, por 5.000 anos, os artistas têm tentado introduzir uma variedade de qualidades diferentes em suas obras de arte. Eles usaram diferentes materiais: mármore, pedra, bronze, madeira, “fresco” e pintura. Eles criaram imagens mitológicas e religiosas, imagens figurativas e abstratas. Eles tentaram fazer obras maiores ou menores e de um monte de qualidades diferentes. Mas há uma qualidade que nunca usaram, e que é a qualidade do amor e da ternura que os seres humanos têm para o que não dura. Por exemplo, eles têm amor e ternura para a infância, porque eles sabem que não vai durar. Eles têm amor e carinho para sua própria vida porque sabem que não vai durar. Christo e Jeanne-Claude desejam doar essa qualidade de amor e ternura para o seu trabalho, como uma qualidade estética adicional. O fato de que o trabalho não permanece cria uma urgência para vê-lo. Por exemplo, se alguém dissesse, “Oh, olhe à direita, há um arco-íris”, nunca iriamos responder: “Eu vou olhar para ele amanhã.”

Site de Christo e Jeanne Claude

Beijos,

Pamela hellen.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s